JMPLA junta Kuduristas e garante o fim de “Búnguele Bang”

Partilhe

No âmbito das jornadas 23 de Novembro, o secretariado Nacional da JMPLA, realizou nesta quarta-feira, 11, o primeiro encontro nacional sobre o papel do Kuduro na educação cívica e patriótica dos jovens angolanos. O encontro serviu também para auscultar as dificuldades que a classe atravessa.


Por Isidro Kangandjo

“aqui nada de Búnguele Bang (nada de mentira), queremos Xaxau Utumba (queremos a verdade/nada de mentira). Hoje o papo é recto, queremos evitar muitos discursos e vamos valorizar a nossa paz, amizade, solidariedade e irmandade para ouvir, registar, acompanhar e procurar soluções pontuais em resposta aos problemas que afligem os Kuduristas que são no seu todo jovem”, disse na abertura o Secretário Nacional da JMPLA Crispiniano dos Santos.

Crispiniano dos Santos considera o Kuduro como um elemento de socialização, por isso, pede que possa se produzir boas composições capazes de contribuir para uma sociedade mais moralizada assente nos valores culturais e patriótico.

O Rei do Kuduro “Tony Amado”, disse ao Factos Diários que as maiores dificuldades que atravessam são discriminação e, várias vezes foram impedidos de adquirir o crédito bancário ou aquisição de uma casa. Segundo Tony Amado, 99,8% de Kuduristas não têm residências e vivem na casa de renda e sem dinheiro para pagar. O exemplo foi assistido ontem quando o Pai Dieser (Presidente dos Estados Unidos de Viana) ofereceu 60 mil Kwanzas ao Passing Toloba para pagar a renda de casa.

“Esperamos que esse encontro possa produzir frustos porque acompanhamos vários encontros e, no final, nada foi feito. As pessoas mudam e a JMPLA tem uma nova direção, por isso, mantemos essa certeza deles levarem essa preocupação aos órgãos de decisão”, disse.

“Se o semba é a nossa bandeira, o Kuduro é o nosso hino” afirma o Rei do Kuduro

K2 um dos intervenientes, pede um museu dos Kuduristas onde serão postos as obras dos fazedores do estilo assim como a história da música e dos fundadores tais como Tony Amado e Sebem.

A Fofadó, Kudurista há 20 anos, reconheceu as grandes dificuldades que a classe atravessa, a mesma, até ao momento, não tem casa própria, concorreu várias vezes na aquisição de uma residência mas nunca conseguiu. a Rainha do Kuduro pede a resolução urgente no que concerne o tratamento igual com outros músicos de estilos diferentes.

O papo foi recto, todos desabafaram, ralharam e, no final, se encontrou um consenso. Ministra da Juventude e Desporto Ana Paulo do Sacramento Neto, garantiu que vai trabalhar com outras instituições para incentivar o empreendedorismo no seio dos Kuduristas. Sacramento, prometeu igualmente cumprir com o que foi dito e levará o memorando ao Presidente da República João Manuel Gonçalves Lourenço.

No final, o Secretário Nacional da JMPLA prometeu aos presentes um outro encontro dentro de quatro meses para avaliar os resultados daquilo que foi dito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »