Dowbor investe e sacrifica jovens para alcançar vaga no Comité Central do MPLA

Partilhe

Tomaz Dowbor, empresário com dupla nacionalidade, quer, a todo custo, alcançar o lugar no Comité Central do Movimento Popular de Libertação de Angola, MPLA, partido que governa Angola desde 1975. O empresário ligado ao imobiliário, vem efectuando trabalhos para vender a sua imagem e concretizar os seus sonhos.


Por Isidro Kangandjo

O sacrifício para alcançar este lugar, segundo a nossa fonte, é enorme e muito dinheiro e sacrifico está sendo feito para que no próximo VIII Congresso Ordinário previsto nos dias 9 a 11 de Dezembro o PCA do grupo Boavida consiga o lugar que aguarda há uma década e meia. No dia 16 de Julho do ano em curso, Dowbor foi homenageado pelo Comité do Município de Belas, CAP 160  e recebeu menção de honra assinada pela Mariana Francisco Cunha, membro do Comité Central.

Pela segunda vez, o Grupo Boa Vida realiza feira do emprego que, segundo os depoimentos do político-empresário, vai disponibilizar, na segunda faze, 1000 vagas na área de construção civil para serralharia, carpinteiros, ladrilhadores, electricistas, arquitectos e também área administrativa.

Na primeira feira que foi disponibilizados 500 vagas, muitos participantes não conseguiram as suas vagas e, segundo uma fonte segura dentro do BoaVida, confidenciou que a meta não foi atingida, por outro lado negou dar os dados reais tendo garantido apenas que foi menos de 300 vagas. “ O PCA disse que passou a expectativa e disponibilizou 800 vagas, mas isso não é verdade”, disse.

Apesar a ideia ser louvável, a prática está muito longe do planejado e tudo indica que a campanha de empregabilidade na empresa de Dowbor visa vender a imagem a nível nacional e internacional, sacrificando os jovens que estão a procura de oportunidade de emprego e realidade os seus objectivos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »