CACUACO: Polícia Nacional acusada de balear propositadamente um funcionário durante o assalto

Partilhe

Paulino de Fátima Soma, de 27 anos de idade, foi baleado por um efectivo da Polícia Nacional no dia 10 de Junho, no bairro Vidrul, Distrito Urbano e município de Cacuaco.


Por Isidro Kangandjo

Segundo a vítima que esteve destacado no período noturno, conta que quando eram 19 horas, a empresa sofreu o assalto e, depois de alguns minutos apareceu os efectivos da esquadra 22 de Janeiro para intervir. Por não se ter conseguido agarrar os meliantes, um dos efectivos terá colocado a bala de forma propositada no é direito do trabalhador da empresa.

“Tanto é que eu me identifiquei, expliquei para ele que só não me encontro uniformizado por causa de muito calor, os colegas testemunharam, simplesmente puxou no gatilho e deu um tiro, mas, antes de fazer, pediu a opinião ao seu colega se podia ou não disparar, depois do aval de um outro efectivo, ele deu um tiro no meu pé”, lamentou.

A família alega que passando mais de dez dias, nunca foram chamados pelo comando municipal de Cacuaco para porem depoimento e apurar as reais motivações do efectivo que baleou o funcionário. O Factos Diários contactou por via telefone o Comandante municipal de Cacuaco, Adão Sebastião “Didi”, prontamente atendeu a chamada e, sobre o assunto, afirmou ter o domínio, aliás, no mesmo dia esteve no local de forma a apurar o que teria acontecido.

Assiste o vídeo

“O jovem em causa estava feito um meliante porque não tinha passe do serviço nem se quer o uniforme, todavia, todas as diligências estão ser feita para apurar o que terá acontecido, por outro lado, o efectivo que deu o tiro está identificado e, se apurar que ele é culpado, será responsabilizado criminalmente”, garantiu o Comandante Municipal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »