BENGUELA: Fome mata mais de 15 pessoas por dia no Capululo

Partilhe

Vida social crítica,  pobreza em alta, fome ao  extremo e a desnutrição severa continuam a ceifar vidas na zona do Capululo, na província de Benguela.


Por Joaquim Paulo

 

Tomar sapa de mamão verde, amarrar corda na barriga ou comer apenas um farelo de milho durante o dia, tem sido uma das técnicas para “escapar” da morte na Província de Benguela. Segundo uma reportagem feita por uma estação radiofónico do país, esta semana, dá conta que, em média, 15 a 20 pessoas morrem todos os dias por falta de comida.

Mulheres grávidas, crianças e idosos são os que se mais curvam às exigências rigorosas do estômago. A população daquela circunscrição de Benguela sobrevive com 100kz por dia, que serve para comprar o peixe seco, a única refeição, sem saber quando poderá saciar a fome outra vez.

Para além da seca que assola o sul do país, a miséria exacerbada têm levado a óbito um número considerável de pessoas por falta de condições de subsistência. No Capululo, por exemplo, os menores se não morrem, se tornam anémicos por falta de alimentação, as mulheres grávidas também constam na estatística daqueles que morrem todos os dias.

Vale ressaltar que, na mesma província, o índice de criminalidade cresce desmedidamente. “As autoridades quase que não conhecem o interior das províncias. Até os coordenadores e divas não efectuam visitas aos moradores”, disse uma moradora  de Capululo.

 

A situação de pobreza extrema está cada vez mais visível em todo país. Em Luanda, também morrem pessoas por falta comida. Nas zonas da Vidrul, belo monte, mulenvos e arredores da Centralidade do Kilamba adultos e crianças vivem do lixo e da esmolas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »