URGENTE: Por lapso efectivos de empresas privadas de segurança são associados ao Porto de Luanda num processo de desvio de mercadorias

Partilhe

Transpirou esta Quinta-feira, 10, por lapso de interpretação, nalguns canais de comunicação a informação segundo a qual terá sido “detido” pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) um “trabalhador do Porto de Luanda” durante uma “tentativa de desvio” de um “contentor” carregado de “caixas de óleo vegetal” no interior das instalações portuárias.


Por Redação do Factos Diários

Segundo uma nota a que o Factos Diários teve acesso, na manhã desta sexta-feira, 11, face às imprecisões detectadas na informação tornada pública, a direção portuária  de Luanda  esclarece que, como resultado do trabalho de uma Comissão Multissectorial das forças de segurança destacadas no Porto de Luanda (Empresa Portuária de Luanda-E.P, Administração Geral Tributária, Serviço de Investigação Criminal), coordenadas pela Administração Portuária, foi frustrada, num dos terminais marítimos operado por uma entidade privada, uma tentativa de descaminho de um contentor de 40 TEUs (unidade específica para a medição dos contentores de mercadorias), contendo várias quantidades de óleo vegetal no seu interior.

O trabalho das forças de segurança resultou igualmente na apreensão de grandes quantidades de cobre em cabos elétricos no município de Viana, em Luanda.

 

Segundo a nota, a operação que resultou na detenção dos indivíduos implicados nestas duas acções, teve lugar no dia 23 de Maio último e deverá continuar até que se apurem todos os elementos relacionados com os dois eventos, sendo que dados preliminares dão conta do presumível envolvimento de alguns efectivos de determinadas empresas privadas de segurança que prestam serviços aos concessionários responsáveis pelas operações nos terminais marítimos.

 

Da actividade de investigação realizada até agora, nada permite afirmar objectivamente que tenha comparticipado em tais acções algum dos trabalhadores afectos a uma das empresas operadoras dos terminais marítimos portuários.

O Porto de Luanda informa que cumpre com as regras do Pacto Global das Nações Unidades, o qual subscreveu em 2017, com o objectivo de reforçar as medidas de combate às práticas lesivas à gestão do erário, assim como o aumento da sua intervenção social nas comunidades à sua volta.

Segundo os primeiros resultados das investigações, detectou-se, nas investigações, que os cidadãos angolanos e estrangeiros supostamente implicados no caso, foram protegidos por supostos efectivos de empresas privadas de segurança que actuam na zona explorada por concessionários e estes nada têm a ver com a Administração Portuária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »