UÍGE: Militantes acusam secretário da UNITA de não realizar conferências municipais

Partilhe

Um grupo de militantes do maior partido na oposição, UNITA, na província do Uíge, denunciaram que não foram realizados Conferências Municipais e comunais e os delegados para a Conferência Provincial, foram escolhidos por indicação do Secretário Provincial Félix Simão Lucas. Militantes falam de violação dos estatutos.


Por Afonso Eduardo

Segundo a nossa fonte, foram inclusive indicados indivíduos que não possuem cartão de militantes e que nunca tiveram passagem pelo Galo Negro. Aureliano Chivinda militante da UNITA há 29 anos, disse que todos os delegados foram escolhidos sem o cumprimento estatutário, pelo facto de serem da confiança do Secretário daquela Província.

Félix Simão Lucas, é acusado de mandar os Secretários Municipais para indicarem pessoas que podiam vir votar os delegados da sua confiança e a eleição dos membros da Comissão Política da UNITA. Aquele dirigente, terá supostamente introduzido elementos para votar nas pessoas de confiança.

“Para ser delegado ao Congresso, o mínimo o militante tem de ter 3 anos de militância e 5 anos para concorrer como membro da Comissão Política, infelizmente aqui o Secretário criou a sua staff e fizeram passar pessoas sem estes requisitos” e acrescenta que Felix Simão Lucas mandou vir Delegados à conferência, pessoas residentes em Luanda e um deles terá concorrido à Comissão Política.

 A fonte acusa ainda Félix Simão Lucas, de ter usado o Conselho Jurídico para falsificar processos indisciplinar para afastar os jovens que muito tem feito pelo partido, dentre estes o Afonso Frederico e o Castelo Gabriel. Estes, conta a fonte,  viram os seus processos a serem chumbados.

“O Conselho Jurídico no Uíge, sanciona somente os quadros quando existe momento de oportunidades. Secretário provincial falta respeito a todos quadros, tem espírito de grupo e promove divisão no seio do partido. Aqueles que não bajulam são tidos como grupo do secretário Adjunto Provincial ou pertencem ao mais velho André Pindi, antigo secretário provincial”, acusou a fonte.

 O Factos Diários sabe de fontes seguras que toda esta situação a inspeção do partido e o GEPA não falam porque o inspetor tem bajulado para ir a CNE e o homem do GEPA, Abel Jamba, foi comprado o silêncio depois de ver sua filha colocada na CNE.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »