Sem os brasileiros no país, bispos Angolanos assumem a liderança da Igreja Universal

Partilhe

Decorreu hoje, 19, uma conferência de imprensa, onde foi apresentado o novo Presbítero Geral em Angola, face o clima insustentável que se instalou naquela Igreja de matriz brasileira. A conferência, teve lugar num dos condomínios residenciais em Luanda, conduzida pelo novo Líder Alberto Segunda.


Por Joaquim Paulo

A convocação dos Jornalistas teve como objectivo apresentar ao público, o rosto do novo Presbítero Geral da Igreja Universal do Reino de Deus-IURD, em Angola. Trata-se do Bispo Alberto Segunda, que passa a assumir, a partir de hoje,  a liderança substituindo o brasileiro brasileiro Honorilton Gonçalves.

A medida tomada, deveu-se ao facto da retirada imediata dos Pastores brasileiros do solo angolano, conforme as orientações das autoridades governamentais do país. “Os nossos missionários brasileiros estão a ser deportados, e, com a saída dos mesmos, nós tínhamos que tomar uma decisão e a decisão mais acertada  é esta”, afirmou o novo líder, Alberto Segunda.

Ainda sobre a deportação dos pastores brasileiros, questionado sobre rumo do vínculo com o Bispo fundador, Edir Macedo e, consequentemente, com o Brasil, o novo líder espiritual da IURD respondeu com a sílaba “bem acentuada”  que vai permanecer o vínculo com o Bispo fundador e, concomitantemente, com seu país.

“Nós vamos continuar com a essência espiritual do Bispo Edir Macedo por se tratar de um líder fundador e haver uma representação Internacional. Essa tomada de decisão assemelhar-se com a Igreja Católica onde o Vaticano e o Papa é representante mundial, por isso, não podemos fugir a regrea”, assegurou.

Nova liderança da IURD aberto ao diálogo

A ala brasileira, continua firme na sua posição, reiterando que são os únicos que o Estado angolano reconheceu, desde 1992. Os mesmos, segundo o novo líder, então abertos para qualquer tipo de diálogo, basta o Estado angolano, na qualidade de mediador,  souber mediar para que as duas partes se encontrem.

Durante a conferência de imprensa, ficou-se a saber que,  a IURD vai seguir com os trâmites legais e estatutários para que se convoque uma reunião extraordinária para que se faça eleições de novos membros do Conselho de Direção e da Assembleia Geral, a novidade é que todos serão cidadãos angolanos.

Sobre a deportação, vale recordar que já foram deportados 30 missionários brasileiros e que restam ainda  15 missionários aguardando pelo mesmo processo. Os missionários que constituíram as suas famílias em Angola, actual líder da IURD em Angola, fez saber à imprensa que a situação está cautelada e, em breve, estarão no Brasil.

PUBLICIDADE NO FACTOS DIÁRIOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »