SCHLUMBERGER: Empresa francesa escraviza funcionários angolanos

Partilhe

A Schlumberger  a maior empresa prestadora de serviços de petróleo do mundo, fundada em 1926 pelos irmãos franceses Conrad e Marcel Schlumberger, deixa mais de 200 funcionários angolanos numa autêntica escravatura moderna roendo o salário dos trabalhadores e expulsão de sindicalistas que exigem o reajuste cambial de acordo o Banco Nacional de Angola.  


Por Isidro Kangandjo

Face as injustiças registadas na empresa de origem francesa de estar a violar os acordos negociadas em 2016, os trabalhadores da Schlumberger, decretaram no dia 08 deste mês a greve para exigirem da entidade empregadora o reajuste cambial de acordo o decreto nº 2|12 de 13 de Janeiro; reintegração de membros da comissão sindical despedidos num momento em que estão numa comissão negocial e o último consta o incumprimento dos acordos de 2016 e 2019.

Desde a semana passada, a entidade empregadora não quer recuar nas suas decisões e garante apenas 48% dos cem dólares, um valor que segundo Luís Manuel secretário do sindicato, alegar estar muito longe da expectativa dos trabalhadores. “Os trabalhadores reivindicam o 100% do câmbio divulgado diariamente pelo Banco Nacional de Angola”, disse o sindicalista.

Jacinto Corteis Inspector Nacional dos recursos Minerais petróleo e Gás quer Miguel Baptista, Director Geral da SCHLUMBERGER, todos de nacionalidade angolana, não pensam em resolver os problemas dos seus irmãos que estão sendo humilhados e roubados pelas empresas estrangeiras.

A empresa Schlumberger, presta diversos serviços a indústria petroleira como aquisição e processamento sísmico, prospecção, perfuração e manutenção de poços de petróleo, fraturação e estimulação hidráulica, além de consultoria e desenvolvimento de sistemas de informação. A companhia também está envolvida com extração de petróleo em plataformas marítimas e na indústria de captura e armazenagem de carbono.

Com 125 instalações de Pesquisa e Engenharia em todo o mundo, Schlumberger investe no desenvolvimento de tecnologia inovadora que agrega valor aos clientes, a empresa emprega aproximadamente 126 mil funcionários de mais de 140 nacionalidades que trabalham em mais de 85 países.

Jorberto Matias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »