“Quem não deve não teme”, diz Job Capapinha

Partilhe

O governador da província do Cuanza Sul, Job Castelo Capapinha, disse em cerimónia de tomada de posse dos novos administradores municipais adjuntos e chefes de departamentos do governo provincial, nesta segunda-feira, 13, que “quem não deve não teme”, frase utilizada para tentar “transmitir confiança e segurança aos empossados”.

Na cerimónia, Job Capapinha voltou a assegurar aos presentes que não existe, “nem de perto, nem de longe”, qualquer escândalo financeiro e muito menos patrimonial naquele governo depois de 11 de Janeiro de 2019. Disse, declarando que todos os escândalos de corrupção que estão a ser identificados agora, “são vícios do passado que contribuíram para o subdesenvolvimento da província”.

O governante enaltece a chegada do EGAE no Cuanza Sul e diz que é uma excelente oportunidade para evitar a má gestão e desvio do erário público como aconteceu no passado, apelando também maior colaboração a equipa do EGAE.

Neste particular, para evitar que continuemos como no passado “peço-vos que prestem todo apoio e colaboração a missão da Inspecção Geral da Administração do Estado que continua a fazer um bom trabalho no governo provincial. Temos que aproveitar esta singular oportunidade para capacitar os novos técnicos em matérias de gestão e de inspecção”, disse e acrescentou: “aliás, quem não deve não teme”.

O político admite ter herdado um governo cheio de vícios e que é necessário que todos os males do passado e do presente que forem identificados devem merecer punição.

“Tudo que é positivo ou negativo herdado ou que estamos a fazer, desde Janeiro de 2019, deve e tem de ser apurado, corrigido e se for necessário punido, para prevenirmos eventuais erros que podem continuar a manchar a nossa governação de hoje e no futuro se não formos avisados.”

Job Capapinha recomendou aos empossados a não “perderem tempo e nem se detraírem” com as informações de escândalos de corrupção em que ele está arrolado.

“Recomendo-vos, pois, não percam tempo, nem se distraiam com questões básicas. Há dois meses se publicitam de forma caluniosa o governador da província em escândalo financeiro, na vã tentativa de nos distraírem do foco”, declarou considerando que “são truques do passado que já não colhem no presente”.

De lembrar, que a cerimónia de tomada de posse decorreu no governo provincial e contou com a presença, dos vice-governadores provinciais, delegados provinciais, directores provinciais, administradores municipais, entidades religiosas e  entidades tracionais do Cuanza Sul.

Recorda-se que, neste momento, o inspector-geral do IGAE, Sebastião Gunza, encontra-se na província do Cuanza Sul para um acompanhamento de ajuda e controlo.

Fonte: Correios da Kianda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »