Pessoa próxima nega título de pára-quedista e incompetente sobre Carlos Cavuquila

Partilhe

Severino Carlos partilhou, no dia 06 deste mês, uma publicação nas redes sociais para questionar a competência do Director Nacional da Identificação Civil e Criminal do Ministério da Justiça, Dr. Carlos Alberto Cavuquila. Fonte próxima ao doutor nega o título de paraquedista e incompetente atribuídos ao responsável Nacional de identificação.


Por Amélia Rosa

“O problema está em saber onde é que, no vaivém entre o Bengo e Cacuaco, Carlos Cavuquila ganhou currículo e bagagem que o habilitassem a dirigir a velha problemática dos bilhetes de identidade?” – Questionou o entrevistado.

Severino alegou não haver no sector, ao longo dos 45 anos de independência, alguém que tenha feito carreira. Para o mesmo, o país não produziu um conservador ou um notário de créditos firmados, que pudesse ser lançado nessa grande empresa de “dar identidade” aos milhões de angolanos, que, diariamente, são torturados para ter um B.I.

“Sempre foi assim. A avaliação do desempenho dos quadros e das carreiras no país persiste em seguir por caminhos tortuosos. E, pelos vistos, não será tão cedo que o fenómeno verá seu fim. Quer em cargos governamentais como em postos no interior do partido, um mesmo quadro, por mais ruim que seja, pode ser visto hoje numa posição de base como, do pé para a mão, aparecer num cargo de topo”, desabafou.

“OS RESULTADOS SÃO ANIMADORES”

O Factos Diários contactou, nesta quinta-feira, 07, pessoa ligada à Direcção Nacional de Identificação Civil e Criminal do Ministério da Justiça. Sem se identificar por falta de autorização, fez saber que Carlos Alberto Cavuquila, além de ter exercido várias funções na área administrativa na província do Bengo e no município de Cacuaco, Cavuquila assessorou em matéria jurídica no GPL, é Docente Universitário em matérias de Direitos e advogado.

A fonte confidenciou que, desde a nomeação do Dr. Cavuquila, a Direcção Nacional de Identificação Civil e Criminal do Ministério da Justiça está a conhecer dias melhores. “ Dr. Carlos Cavuquila não é pára-quedista muito menos incompetente, a verdade é que desde a sua nomeação houve grande melhoria no que a identificação diz respeito e acreditamos que o melhor está por vir”.

A fonte revelou que quando Dr. Cavuquila chegou a aquela função, 55 municípios de Angola não tinham serviços de identificação, e ele expandiu os serviços em todos os municípios. “Na diáspora não tinha nenhum serviço, mas o Director Instalou 09 serviços, sendo dois em cada país, com maior realce aos países como Portugal, África do Sul, Namíbia, Zâmbia e França. Hoje já é possível buscar a segunda via do B.I em qualquer ponto do país e nos países acima referido”, rematou.

Carlos Cavuquila disse à TV Zimbo que o novo sistema de impressão digital dos registos é seguro e já não é possível o cidadão atentar em ter uma dupla identidade. Aqueles que tentaram já foram despoletados e encaminhados à Procuradoria-Geral da República e aos serviços de investigação criminal uma vez que, segundo fez saber, a dupla identidade em alguns casos é para fins criminoso.

De lembrar que Carlos Alberto Cavuquila trabalha há 09 meses, foi nomeado no dia 18 de Fevereiro de 2020 para ocupar o cargo de Director Nacional de Identificação Civil e Criminal, em substituição de Felismina Manuel.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »