Manuel Vicente, Álvaro Sobrinho e Tomasz Dowbor apontados como principais patrocinadores da campanha do MPLA em 2022

Partilhe

O MPLA, partido maioritário e governo desde 1975, encara as eleições marcada para 2022 como sendo uma dos mais difíceis depois de 1992, por essa razão, os magnatas do país foram sensibilizados para fazer corrente e facilitar a mobilização, locomoção e compra de consciências com maior realce militantes dos partidos na oposição.


Por Isidro Kangandjo

 

Informações que chegaram recentemente à redação virtual do Factos Diários, estão na lista como principais patrocinadores das eleições previstas para 2022, os senhores Manuel Domingos Vicente, antigo Vice-presidente da República na era Eduardista, Álvaro Madaleno Sobrinho, empresário e antigo gestor do Banco Espírito Santo Angolano (BESA) na era Eduardista e Tomasz Dowbor, empresário e actual primeiro secretário do CAP 160, considerado como sendo o CAP mais luxuoso do MPLA.

Apesar dos valores não serem revelados de momento, os magnatas não gastarão apenas os seus recursos, segundo a fonte, estes vão receber os apoios financeiros do regime angolano e fazer a distribuição nas províncias que poderão apresentar mais ameaças para o MPLA. Manuel Vicente e Álvaro Sobrinho, conta a fonte, os seus trabalhos terão uma dimensão nacional fiscalizando outros pivôs do interior do país enquanto Tomasz Dowbor e mais outros três empresários (por revelar) asseguram o coração de Angola, Luanda.

Secretário Itinerante do Comité Provincial de Luanda do MPLA e Coordenador do grupo de acompanhamento do MPLA no Cacuaco, Bento Kangamba,  general José Tavares Ferreira, e Kawikh Sampaio da Costa, terão a missão de trabalhar na procura e corromper mentes críticos ao regime e receber os recursos que serão entregues pelos fieis contribuintes.

A primeira tentativa de compra de consciências dos adversários, pelo menos esse ano, aconteceu no dia 16 de Julho quando os militantes da UNITA no Kilamba Kiaxi sofreram uma tentativa de corrupção avaliado em 22 milhões de kwanzas. Estes valores foram recuperados pelo Secretário Provincial da UNITA em Luanda Nelito Ekwikwi.

Segundo um artigo do Klub-K, o general Tavares é a entidade que na governação do Presidente João Lourenço, tem as responsabilidades de conduzir o programa de enfraquecimento da UNITA e o subsequente desgaste da imagem do seu líder Adalberto Costa Júnior. Os seus trabalhos, nunca são posto em marcha, sem o conhecimento do Director do Gabinete de Acção Psicológica e Informação da Casa de Segurança, Ernesto Manuel Norberto Garcia. Ambos reúnem-se com frequência na sede da Akwa-Sambila, liderada por Tavares.

A equipa de João Lourenço vai aos poucos buscando o grupo forte de José Eduardo dos Santos que poderão trabalhar na baixa visibilidade para levar o MPLA na 5ª vitória consecutiva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »