MÁFIA JUVENIL: Administrador do Dande cai na armadilha do GREJA

Partilhe

Administrador Municipal do Dande, Cândido Cadifete, foi um dos dirigentes que caiu na armadilha do GREJA com promessa de construir uma escola comunitária. De um tempo a esta parte, o chefinho “Mauro Mendes”, alega não ter a carrinha para levar os materiais de construção.


Por Isidro Kangandjo

A novela cuja vítima está Cândido Cadifete e José Garcia Matoso de Andrade, administrador do Úcua, aconteceu no dia 22 de Janeiro, quando uma caravana do Grémio Juvenil de Angola liderado por Secretário Executivo Nacional Mauro Mendes, deslocaram-se na Comuna do Úkwa, município do Dande para efectuar o lançamento da primeira pedra para a construção de uma escola de três salas e uma residência dos professores avaliado em mais de 80 milhões de Kwanzas no bairro Catuta.

  Cândido Cadifete/Administrador do Dande

Com objetivo de tirar mais de 200 crianças fora do sistema do ensino e cortar vários quilómetros de distância percorrido sem meios de locomoção, o gesto fez correr Cândido Cadifete até a Comuna do Úcua para testemunhar aquilo que seria o fim dos problemas daquele bairro que existe desde os anos 80. Administrador ficou satisfeito com o gesto do GREJA por dar a primeira escola no bairro.

Ocorridos três meses, a novela teve um outro episódio, afinal, se tratava de uma arte de mentira para engradecer a imagem do Presidente João Manuel Gonçalves Lourenço. Uma fonte da administração do Dande afirma que no mês de Fevereiro e Março ligaram ao senhor Mauro Mendes e este afirmou que não havia carrinha Canter para levar os materiais de construção. “Foi assim que descobrimos que estávamos sendo enganados pelo GREJA. Como é possível uma instituição ter mais de 80 milhões de Kwanzas para a construção de uma escola e nem se quer tem dinheiro para alugar uma viatura para trazer os materiais?”, questiona.

Actualmente, a comunidade está a cobrar uma vez que a garantia era de sete meses e, autoridades tradicionais acusam administração do Dande de ter engolido os valores destinados para a construção da escola.

SOBRE AS MENTIRAS DO GREJA NÃO É TUDO…

O FD foi recentemente informado que o Grémio Juvenil de Angola, GREJA, prometeu construir uma escola de seis salas de aulas, no município de Cacuaco, em Luanda no bairro Maiombe-B. De acordo com um suposto encarregado da obra e de Mauro Mendes, a obra avaliado em mais de 97 milhões de Kwanzas, teria início no dia 22 de Janeiro deste ano com uma duração de sete meses.

De um tempo a esta parte, já não se fala nada do projecto. O Factos Diários contactou João Reis, responsável da escola comunitária do bairro Maiombe-B, este, afirmou simplesmente que as obras não começaram e limitou-se aprofundar sobre o assunto. Questionado se já recebeu uma luz verde do GREJA sobretudo entrega dos materiais, o responsável disse apenas que estão aguardar desde o dia 22 de Janeiro.

No dia 20 de Março, o Factos Diários interagiu com o líder do GREJA, Mauro Mendes para esclarecer o assunto em volta. O jovem negou o contraditório presencial por questões da agenda interna e, durante a interação no WhatSapp, informou que administração do Úcua precisa de disponibilizar uma viatura para carregar os materiais e, sobre a escola comunitária de Cacuaco, “está a depender de nós. Tudo está preparado, por isso, o termo lançamento da pedra”, disse.

Sobre as outras questões colocadas pelo FD, o líder associativo visualizou e simplesmente ignorou. Ou seja, não havia resposta das questões colocadas.

A nossa equipa de reportagem fez algumas diligências junto do Executivo do GREJA para apurar se havia uma base ou estaleiro onde se encontravam os mesmos materiais, a nossa fonte oficial avançou que não existe dinheiro no GREJA para construir as duas escolas e nem se quer conseguiram um patrocinador para comprar os materiais de construção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »