“É um perigo ter UNITA de ACJ como alternância ao poder em Angola”

Partilhe

Kawikh Sampaio da Costa, militante da UNITA que pediu a sua demissão ao cargo de Secretário para mobilização urbana de Luanda no primeiro dia do mês da paz, disse ontem ao Factos Diários que depois da conferência de imprensa, o político terá recebido mais de 100 mensagens de ofensas morais dos militantes da UNITA.


Por Isidro Kangandjo

De acordo com os políticos angolanos que vêm questionando assuntos relacionados com o presidente da UNITA, queixam-se da fraca compreensão por parte dos militantes que usam mensagens ofensivas e de ameaças. Segundo Kawikh Sampaio da Costa, os militantes da UNITA se tornaram, nos últimos tempos, piores do que os militantes do MPLA no que a tolerância, respeito de opinião e liberdade de expressão diz o respeito.

“Estive lá dentro e estou a viver isso agora, esta UNITA de Adalberto Costa Júnior chega a ser mais perigosa, por isso, é um perigo ter UNITA de ACJ como alternância ao poder em Angola. Os militantes cegos pelo Presidente da UNITA em detrimento ao partido, se tornaram nos mais intolerantes deste país e, quando alcançar o poder, Angola deixará de ser um país com liberdade de expressão. Nós os militantes da UNITA que questionamos, seremos os primeiros a sermos mortos”, disse.

O político que nega se afastar da UNITA, diz não se sentir arrependido por ter detonado o líder do seu partido e garante que muitos lhe darão razão quando se aperceberem que estava ao lado da verdade. “Antes da conferência de imprensa, eu sabia que iria de receber muitas ofensas do militantes que negam ouvir a verdade e isso aconteceu porque actuais militantes não recebem disciplina partidária muito menos viver em diversidade”, rematou.

PUBLICIDADE NO FACTOS DIÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »