China pode perdoar empréstimos sem juros para África

Partilhe

Numa videoconferência realizada nesta quarta-feira dia 17 de junho, o presidente chinês, prometeu perdoar os empréstimos sem juros dos certos países africanos até o final deste ano, como forma de apresentar uma salubre relação entre África e china no combate a pandemia

Por: Mateus Bazonga

A China se tornou um dos maiores credores da África nos últimos anos, emprestando centenas de bilhões de dólares aos governos para construir estradas, ferrovias e portos. Agora, é promissor anular uma pequena parte dessa dívida à medida que os países do continente combatem a pandemia dos Covid-19, até então, a Chine tem se mostrado como um dos principais parceiros da União Africana que tem disponibilizado materiais e equipamentos para a luta contra a pandemia no continente berço, tendo doado milhões de testes e máscaras incluindo alguns ventiladores.

Cerca de 152 bilhões USD $, era o valor em empréstimos disponibilizado pelos credores chineses para países africanos entre 2000 e 2018, de acordo com um relatório separado publicado quinta-feira, 18, pela China Africa Research Initiative (CARI), um programa de pesquisa da Escola de Estudos Internacionais Avançados da Universidade Johns Hopkins.
                                                            
Sengundo (CNN- Busines), os países africanos têm uma dívida substancial com a China. Cerca de 20% da dívida externa do governo africano era devida à China em 2018 de acordo com uma estimativa da Jubilee Debt Campaign, um grupo de caridade baseado no Reino Unido que defende o cancelamento da dívida para os países pobres, citado pelo portar CNN_Busines.
 
"O mundo está passando por profundas mudanças invisíveis em um século dadas as novas oportunidades e desafios que enfrentamos, é necessária mais do que nunca uma cooperação mais estreita entre a China e a África". Disse o presidente chinês.
 
Líder chinês promete oferecer "maior apoio" aos países africanos atingidos pelo vírus e estresse financeiro. 
 
Xi, é de opinião que a China desse mais tempo aos países para pagarem outras dívidas. A solidariedade do Xi para África, ocorre quando a pandemia de coronavírus impõe dificuldades acentuados em alguns dos países mais subdesenvolvidos do mundo, incluindo os da África - e a pressão está aumentando sobre os credores para intervir, sendo também uma das opiniões do FMI e do Banco Mundial.
 
Todavia, os analistas apontaram que empréstimos sem juros representam apenas uma fração da dívida que os países africanos devem à China, segundo o relatório da CARI atribuiu o total a menos de 5%.
 
                                                          
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »