CASO DR. DALA: GP-CASA-CE ausculta sindicato dos médicos

Partilhe

O grupo parlamentar da CASA-CE, reuniu nesta terça-feira com o Sindicato dos médicos angolanos para se inteirar sobre a morte do Dr. Sílvio Dala falecido esse mês numa das unidades Policial de Luanda. O encontro tratou também sobre as condições sociais e profissional dos Médicos.


Por Amélia Rosa

Presidente dos Sindicato dos Médicos de Angola, Dr. Adriano Manuel, explicou que a polícia está a tentar mentir os médicos sobre a morte do seu membro e revelou que a família do malogrado em momento algum pediu desculpas à polícia conforme avançou o Comissária Waldemar José, porta-voz do Ministério do Interior.

O sindicalista, garantiu junto com a família de Dr. Sílvio levar os prevaricadores nas barras do tribunal e questionarão ao Waldemar José os vários argumentos que avançou na imprensa.

“Temos a necessidade de, na próxima semana, levarmos a tribunal, pois temos provas concretas que o nosso colega não faleceu de enfarte agudo do miocárdio, teve outras causas que jogaram um papel muito importante”, disse.

Na qualidade de Deputados eleitos pelo povo, o Grupo Parlamentar da CASA-CE, avançam que de forma alguma “poderíamos continuar impávidos e serenos mediante o quadro que acometeu-se nesses últimos cinco meses da pandemia do Covid-19 em que os cidadãos são assassinados por falta de uso da máscara na via pública, entre as vítimas está o Dr. Sílvio Dala. Viemos aqui para ouvir a versão em torno da morte do médico angolano e saímos felizes com a informação recebida e pedimos para que a justiça seja feita”, disse Drª Sesinanda.

Sesinanda Kerlan Xavier, Vice-presidente da CASA-CE para a coordenação de comunicação social e Marketing, depois do que ouviu, afirma que a situação dos médicos angolanos precisam de soluções imediatas e avança que os três anos de governação do Presidente João Lourenço, as condições sociais tem vindo a degradar-se cada vez mais, porém, desconhece as razões.

“Todos nós sofremos aquilo que é as consequências da má governação. A governação deve ser Justa e transparente para que cada cidadão se sinta cada vez mais dono de Angola. Os órgãos de soberania, deveriam trabalhar mais para o povo uma vez que eles são pagos com o dinheiro do povo”, frisou.

Os médicos angolanos, reivindicam por melhores condições de trabalho e um salário condigno. O Sindicalista conta que não há, em Angola, o reconhecimento e valorização da classe, “não temos seguro de vida e nem de saúde, o salário de um médico está entre 230 mil a 260 mil kwanzas”, revelou.

De lembrar que as visitas devem-se aos preparativos da 4ª jornadas parlamentares da única coligação em Angola.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »