ANIESA fecha os olhos perante péssimas condições da fábrica Huaxing Internacional

Partilhe

“A fábrica não encerra hoje, mas a mesma apresenta muitas anomalias na lei industrial e tem algumas linhas que poderiam fazer o seu encerramento, mas como não saímos preparados para este fim, amanhã, com mais calmas, viremos  para concluir o trabalho”.


Por Teresa João 

 

A declaração foi feita à imprensa hoje, 25 de Agosto, pelo inspector superior da Autoridade Nacional de Inspeção Económica e Segurança Alimentar (ANIESA) Jeremias Malembe, numa actividade inspectiva dentro da Industria Huaxiang  Internacional, LD localizada  no Bairro kapalanga, município de Viana.

 

A visita de  inspecção em causa, surge em função de uma denúncia em que alega que os produtos ali fabricados não seguem os parâmetros legais para o seu consumo.

Segundo o inspector superior da ANIESA, Jeremias Malembe, disse que as péssimas condições e infrações  constatadas no local, foram  nas áreas de fabrico, armazenagem, as condições péssimas na áreas de convivência, alimentação, falta de higiene e arrumação.

“Para o laboratório onde é feito a mistura de produtos para o sumos e yougurt serão notificados amanhã com mais calmas e a fábrica de chinelas também vamos procurar uma equipa com mais capacidades para se fazer um trabalho com todo o rigor”, Afirmou.

Segundo  o funcionário João Neto, que trabalha há mais de um ano na mesma empresa como maquinista, diz que no trabalho só há  entrada e não tem hora de saída. “Muitos trabalhadores  estão aqui a muitos anos e não são permitido a sair,  as condições de alimentação, os dormitórios masculinos e femininos estão péssimas, a empresa não se encarrega com a saúde dos trabalhadores e quando ficamos doentes não têm como ir ao hospital porque se formos  seremos descontados no salário ou até mesmo despedidos sem indenização”, lamentou.

Por sua vez, o Director Municipal da Promoção do Desenvolvimento Económico Integrado Dorivaldo Adão, fez saber que foi  constatado uma serie de irregularidades desde as questões laboratoriais da própria instituição, por outro lado, muitos dos funcionários trabalham em condições não aceitáveis.

“Muitos destes funcionários vêm do interior do país com famílias e muitas desses familiares vivem no quintal da fábrica e os produtos que ali são fabricados não apresentam o rótulo como orienta a legislação em vigor no país”, alertou.

O responsável do Comercio de Viana acrescentou ainda que tendo em conta a lei das actividades industriais,  importa referir que as administrações municipais por força da lei não determina o encerramento da instituição. Segundo a lei, quem determina o encerramento da instituição quer de forma definitiva ou temporária é a ANIESA.

  De referir que a indústria  Huaxiang Internacional, é o responsável dos produtos de marca oreo ( sumo, yougurt) fabrica também lâmpadas e chinelas  com marca havaianas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »