ANGOLA: Conheça o “maluco” que nunca deixou de usar máscara durante a pandemia

Partilhe

 Se num lado a Comissão Multissetorial Angolana clama aos cidadãos para o cumprimento das medidas de prevenção, apelando através dos órgãos de comunicação social, num outro lado parece cidadãos que não estão interessados para ouvir os apelos considerando uma utopia as medidas de prevenção e a inexistência da Covid-19.


Por Isidro Kangandjo

Há dois meses, o Factos Diários vem acompanhando o movimento de um jovem com transtornos mentais ou seja, Maluco que mesmo não assistindo a TV ou ouvir a rádio, nunca deixou de usar a máscara de forma adequada desde que foi decretada as primeiras infecções em Luanda, capital de Angola.

O jovem chama-se Antoninho, para os demais é conhecido como o “maluco” das máscaras, residente no bairro Petrangol, Distrito Urbano do Hoje-Ya-Henda, município do Cazenga. Paulo Augusto, que conheceu há muitos anos o Antoninho, afirma que apesar do jovem estar fora das suas faculdades mentais, nunca deixou de imitar coisas positivas e aconselha às outras pessoas que estão dentro das suas faculdades mentais a emitir o Maluco.

“Se um maluco cumpre com as medidas de prevenção, usando a máscara e estar longe dos demais, porque nós, que nos consideramos de racionais não podemos cumprir? Se é difícil obedecer os nossos governantes, pelo menos vamos emitir o maluco”, disse Paulo Augusto.

De lembrar que nas últimas 24 horas, o país registou cinco óbitos, 222 novas infecções e 234 recuperados. Nesta altura, o país contabiliza 24.882 casos confirmados dos quais 570 mortes, 22.882 recuperados e 1431 activos.

PUBLICIDADE NO FACTOS DIÁRIOS

2 thoughts on “ANGOLA: Conheça o “maluco” que nunca deixou de usar máscara durante a pandemia

    1. saudações, ilustre Manuel! muito obrigado por ter nos contacto. para nos acompanhar e receber todos os dias notificações, é só se cadastrar e colocando o seu email.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »