Administração do Talatona rouba património da Cruz Vermelha de Angola

Partilhe

A informação foi avançada pelo encarregado da obra e Secretário Geral da Cruz Vermelha de Angola, Simão Caquarta que mostra-se indignado com atitude da Administração Municipal do Talatona por esta ter recebido o Posto de Saúde sem aviso prévio.


Por Afonso Eduardo

O Posto de Saúde ligado à CVA, foi recebido pela administração do Talatona no dia 05 de Agosto de 2021 sem ter notificado os responsáveis. “foram para lá com mais de 30 efectivos da Polícia Nacional, escorraçaram os pacientes e técnicos de saúde. Quando demos conta da situação, solicitamos audiência com Administração e com o Governo Provincial de Luanda e estes mostram-se indisponíveis”, disse o Secretário Geral.

Depois de serem ignorado, a Cruz Vermelha de Angola conta ao Factos Diários que contactou Secretário de Estado para Saúde Pública, este afirmou que desconhece dessa informação.

CV-ANGOLA

O Posto de Saúde foi construido em 1999 a 2000 e entrou em funcionamento em 2001. O projecto foi financiado pela Agência Espanhola da Cooperação Internacional sob responsabilidade da Cruz Vermelha de Angola com objectivo de atender os deslocados de guerra que vinham das províncias do Bié, Huambo e leste do país.

A Cruz Vermelha de Angola tem todo o dossier e não entedende o que terá motivado Administradora Adjunta para o Sector Político e Social, Claudeth Serqueira Damião, primeira filha da Vice-presidente do MPLA Luísa Damião na apropriação do património.

cv-angola

No dia 30 de Junho de 2010, o chefe de repartição de saúde  da antiga administração municipal de saúde da Samba Miguel Mabeca Maiandi, reconheceu que o Posto é da responsabilidade da CVA e funciona em conformidade com as normas do Ministério da Saúde da República de Angola.

De lembrar que todos esforços estão ser feitos para ouvir administração municipal do Talatona.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »