Acções dos Jovens Unidos e Solidários já beneficiaram mais de 25 mil famílias

Partilhe

Por Redacção do “Factos Diários”

Os jovens Unidos e Solidários percorreram, até aqui, mais de 10 mil quilómetros por estradas asfaltadas e picadas, distribuindo alimentação às famílias carentes no Centro, Sul e Leste do país.

A saga solidária que teve início a 15 de Junho deste ano, com o objectivo de atender o apelo do Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, teve como o ponto de partida na província de Benguela, passando pelos municípios de Catumbela, Bocoio, Caimbambo e Cubal. Na província do Huambo, beneficiaram os municípios de Chinjenje, Longondjo e Bailundo enquanto que o Cuanza Sul ficou com Cela|Waku kungo.

A segunda temporada teve início a 18 de Julho também deste ano, passando pelas províncias da Lunda-Norte com dois municípios, Lunda-Sul, três municípios, Bié, seis municípios, Cuando Cubango, dois municípios, Moxico, beneficiou o Luena, Comuna do Lucusse e, um camião contentorizado de 40 pês que teve a recepção do Governador provincial, Gonçalves Muandumba.

Em cada município ficou 60 toneladas e os beneficiários foram selecionados de acordo a situação social de cada família.

Nas duas temporadas realizadas, de acordo com o coordenador da JUS, foram disponibilizados  mais de três mil e quinhentas toneladas de bens alimentares e calçados para crianças e beneficiou mais de 25 mil famílias.  

Acções da JUS está ganhando denominações como “caravana da solução” e outros chamam de “mata a fome”. O objectivo é mesmo este, ajudando famílias que não têm nada para comer ou vestir.

O governo da província do Bié, enviou uma nota de agradecimento no dia 05 deste mês a bravura dos  jovens da associação “Jovens Unidos e Solidários” que em momento tão marcantes pela pandemia covid-19, doaram o que tinham às famílias mais vulneráveis, demonstrando assim, o espírito de camaradagem, amor ao próximo e verdadeiramente humanismo que os impele a quebrar as fronteiras do medo, em circunstancias pandémicas, escalando a província do Bié.

“O exemplo vivo demonstrado por esses jovens valentes, deve ser seguindo pelas outras associações filantrópicas, pois, segundo o saudoso Dr. António Agostinho Neto, “o mais importante é resolver o problema do povo”. É desta forma que as outras associações angolanas deverão trabalhar para que juntos possamos auxiliar o Executivo Angolano de mãos dadas, espalhando o amor ao próximo, a solidariedade e humanismo”, disse a nota.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »