Um grupo de homens e mulheres dedicam-se na prática de espalhar HIV-SIDA no Panguila

Partilhe

Um jovem de 27 anos de idade residente no projecto modelar, vulgo Teto Vermelho, Panguila, foi acusado essa semana de disseminar o vírus do SIDA aos menores residentes naquela parcela do Bengo. As meninas têm idades compreendidas entre 14 e 15 anos, uma situação que preocupa os denunciantes.


Por Isidro Kangandjo

O jovem aparece nas redes sociais com o nome de “Demuca da tropa rija Demuca”, segundo os denunciantes no qual muitos são pessoas próximas do acusado, alegam que o mesmo está possivelmente a efectuar a medicação numa das unidades hospitalares, o maior problema é que ao se envolver com as adolescentes, o acusado não usa medidas de prevenção como o preservativo.

A equipa do portal “Factos Diários”, através de um trabalho de investigação, descobriu quatro adolescentes que namoram ou namoraram com o Demuca e outros seus amigos. Estas jovens estão identificadas, mas pela questão de segurança, preferimos por enquanto não avançar com os nomes. Uma das jovens encontra-se em Luanda a fazer o tratamento no Instituto Nacional na Luta Contra o SIDA enquanto as outras meninas aguardam pelas consequências.

“Nós sabemos que o jovem está infectado, conhecemos o que está a fazer com as menores, mas todos temos o medo de denunciar para não sofrermos represália”, contou a fonte que por coincidência é alguém próximo do acusado. 

Essas adolescentes infelizmente, também têm namorados das suas idades, por isso, os moradores do Teto Vermelho, estão preocupados com essa situação e muito avançam que o índice do SIDA no bairro aumentou de forma assustadora. O acusado, de acordo com as amigas das vítimas, usa o dinheiro e telefones para corromper adolescentes uma vez que o índice de pobreza é um dos grandes problemas dos moradores dos sectores acima referido.

O outro grupo é constituído por três senhoras Serós positivas, as mesmas, se envolvem com os adolescentes de 17 anos em diante alegando que dessa forma a contaminação do vírus se espelharia o máximo possível nos jovens e adolescentes uma vez meninos com as idades acima mencionadas, têm namoradas menores de 15 anos.

“A minha vizinha, tem um grupo de amigas Serós positivas, elas fazem vida e conquistam os moços a fim de terem relações sexuais, a mesma tem um irmão que também faz o mesmo mas com senhoras. Depois de contaminar uma amiga minha, ele fugiu do bairro”, disse a nossa fonte.

Depois de uma investigação profunda, a nossa equipa de reportagem acabou de conhecer o nome da líder das mulheres, ela chama-se  “Tia Lú” mais conhecida por “mulata de Benguela” residente no sector 09. Segundo pessoas próximas da senhora, quando se encontra em estado de embriagues, fala do seu estado de saúde e das suas acções.

Sociólogo residente, José Lourenço, alega que espalhar HIV é crime punível pela lei e quem chegar a ser vítima destes grupos, devem de imediato denunciar junto da justiça fazendo queixa crime.

Por outro lado, pede que Associação Nacional de luta contra o SIDA deve ser notificada e criar uma brigada de vigilância epidemiológica desta patologia no local com especialista como jornalistas, sociólogos e juristas após apurar e denunciar junto dos órgãos competente.

Psicólogo Matary, conta que os autores podem possivelmente serem possuídos com traumas avançado por falta de acompanhamento psicológico e motivações de acreditar que estar infectado não é o fim da vida e contagiar outros é uma forma de destruir a sociedade e viver como um ser selvagem.

o Factos Diários, deu a conhecer a Polícia Nacional na província do Bengo e esperamos que os prevaricadores sejam responsabilizados. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »