Paulo de Almeida nega haver alegada gasosa de patenteamento na corporação

Partilhe

O Comandante Geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida, desmentiu a informação que dá conta da suposta negociação de  subida de patentes entre os agentes da corporação, a informação foi avançada esta terça-feira, 06, no programa a grande entrevista da Televisão Pública de Angola.


Por Kamaluvidi Baltazar

Várias denúncias têm sido feitas sobre alegada corrupção de cargo na Polícia. Segundo as vítimas, a corrupção e tráfico de influência, tem deixado muitos efectivos sem puder financeiro a permanecer na mesma patente durante década. Questionado sobre o assunto, Comandante Geral disse: “A Polícia não negocia, há indivíduos identificados que já estão prestar contas com a Justiça,” garantiu.

Em poucas palavras, o Comandante Geral reconhece que tem havido negociações, mas, quando isso acontece, os actores têm sido apanhados e serem responsabilizados criminalmente.

Em relação ao grupo “Turma do Apito,” o Comissário afirma que é uma organização criada a base da ilegalidade chamando a atenção que este grupo não tem autorização para prender, deter  ou agredir fisicamente qualquer cidadão sem o devido consentimento da Corporação.

Quanto a recuperação de armas de fogo em posse de alguns cidadãos, Paulo de Almeida reconhece haver pouco trabalho avançando que  ” precisa-se promover mais campanhas ” de desarmamento ilegal de armas realizadas pela Polícia Nacional.

PUBLICIDADE NO FACTOS DIÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »