Cadeia clandestina preocupa munícipes de Cacuaco

Partilhe

Um grupo de jovens denominados turma do apito, no município de Cacuaco, Distrito do Kicolo, fizeram de uma obra uma cadeia clandestina, no Bairro Boa esperança III, Balumuca. A denúncia é dos moradores que viram os seus parentes a ser torturados e detidos por vários dias.


Por Redação do Factos Diários

De acordo com os denunciantes, o grupo de jovens supostamente turma do apito, na sua criação, começaram por perseguir jovens que tiravam sossego no bairro denominado por meliantes “Zanga Mata”. Ocorrido alguns meses, este mudaram de táticas, apropriaram-se de uma obra que, por sinal, está a venda para disciplinar quem andar fora da hora ou praticar assalto. Uma vítima que não aceitou se identificar por medo de represália, conta como tudo acontece no interior.

Cadeia clandestina à esquerda e colégio à direita

“Estive embriagado e caminhava pela madrugada a caminho de casa, posto na linha férrea, fui surpreendido pela turma do apito, bateram-me com catanas e algemado com algemas reais”. O senhor de 36 anos de idade, acrescenta que existe no espaço jovens que estão na cadeia clandestina há mais de uma semana onde são torturados de manhã, ao meio dia e as 18 horas.

A falta de capacidade dos pais educar os filhos, os encarregados têm aproveitado a ocasião de levar os seus filhos na cadeia clandestina para apanhar palmatórias. Os presos, têm o direito de receber visitas e alimentação. Quando chega o dia da soltura, os familiares pagam um valor simbólico avaliado em três mil kwanzas. Enquanto alguns se alegram, a maioria dos moradores sentem-se triste uma vez a muito deles são inocentes. “Precisa-se de uma intervenção do Estado. Eles devem colaborar com a Polícia para levar os meliantes na cadeia e não aqui. Todas as manhãs ouvimos homens e mulheres a chorar por causa da tortura que sofrem”, desabafou um dos moradores vizinho do “Colégio Silva”.

Cadeia Clandestina

O Jurista, Salvador Matondo Vicente, reconhece o esforço que a comunidade vem efectuando no combate à criminalidade, porém, entende que não se deve encarcerar cidadãos que supostamente terão cometido o crime, mas sim levar numa esquadra mais próxima, “Se o suposto grupo do Apito trabalha com algema, tudo indica que há um convénio com a Polícia Nacional, daí, há toda uma necessidade do grupo levar os supostos marginais para a esquadra para não ocorrer ao crime de cárcere privado”, disse.

De referir que a cadeia clandestina encontra-se no Balumuca, Zanga Mata, junto a escola do ensino primário e do 1º clico “Colégio Silva”. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »