Abuso de poder no seio dos militares leva director da Konda Marta à cadeia

Partilhe

 Daniel Neto, director da empresa Konda Marta, está detido desde o dia 24 de Março, por crime não identificado com o processo número 25/2020. Segundo pessoa próxima do empresário, a detenção é resulte do litígio de terreno que foi supostamente usurpado pelas altas figuras da ordem de segurança nacional.


Por Amélia Rosa

Segundo o familiar do detido, acusa Tenente-General Rui Fernandes Lopes Afonso, Comandante da região militar de Luanda e Comandante do Comando Municipal do Talatona Sob Comissário Joaquim do Rosário de ter mandado prender o director da empresa Konda Marta, no sentido de facilitar a conclusão das obras do condomínio construído no terreno da empresa onde o mesmo (Tenente-General Rui Fernandes Lopes Afonso) havia demolido 50 residências.

Até agora, o responsável da empresa Konda Marta não foi ouvido pelo Procurador e acusam Procurador Militar Adjunto Tenente General António Leitão Ribeiro de ter demorado com o processo no sentido de dar o tempo nos empreiteiros concluírem com as obras construídas no perímetro da Konda Marta. Os familiares, pedem a intervenção de pessoas justas para se repor a legalidade.

A nossa equipa contactou alguns acusados e nos foi informado que Tenente-General Rui Fernandes Lopes Afonso, Comandante da região militar de Luanda encontra-se internado num dos centros de quarentena em Viana.

PUBLICIDADE NO FACTOS DIÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »